0 Comments

Silvia Regina Linberger dos Anjos

Todo ano que se inicia, renovam-se as esperanças, em qualquer crença. Viemos de um ano 2015 muito marcante para o Brasil na área ambiental, considerando-se o maior desastre em intensidade causado pelo homem e suas atividades econômicas, ocorrido na cidade de Mariana, além do grande ciclo de estiagem já acontecido no estado de São Paulo e da tradicional região nordeste do Brasil, que já é comum.

O rompimento da barragem da mineradora Samarco foi considerado o maior desastre ambiental do país em termos de proporções e quantidade de cidades envolvidas, além da morte do Rio Doce. Nenhuma obra de contenção foi realizada, assim, o rio continua morrendo a cada dia. O descaso das autoridades e a demora das partes (a mineradora é um empreendimento entre a Vale S.A e a BHP Billiton, portanto a co-responsabilidade) em resolver a situação são os agravantes que contribuem para a perda de vida dos rios e a perda de identidade dos cidadãos que moravam naquela localidade e as populações que viviam ao longo do Rio Doce de Minas Gerais, Espírito Santo e chegam até o Oceano Atlântico.
Aliado a isso, as incertezas no campo político, ajudam na construção de um cenário não muito alegre para 2016. Contudo, podemos melhorar 2016, economizando e aumentando a qualidade de nossa produção! Ao diminuirmos os desperdícios invisíveis de nossa empresa e se conhecermos bem o processo que temos e o que produzimos como resíduos, seremos parte da melhoria desse país. Em época de menos trabalho externo, temos que voltar para dentro e avançar no desenvolvimento interno.

O novo gestor deve se preocupar não apenas com os lucros, mas também com o meio ambiente e com o entorno onde está a sua empresa, pensando no tripé da sustentabilidade.
A mineradora Samarco é um exemplo de como não deve ser uma empresa sustentável. É com os erros que aprendemos, mas podemos antecipar e prevenir os erros se planejarmos a partir do conhecimento e esse conhecimento é simples: são informações coletadas no local da sua produção e ouvir os operadores de máquinas e do manuseio da produção, como o acabamento gráfico. Sempre haverá sugestões, pois uma empresa se faz com uma equipe e não apenas com uma pessoa. Bom senso, respeito e ética são características que devemos ter e exercitar em qualquer momento, no trabalho ou em casa, com os colaboradores e com nosso filhos.

Que 2016 seja um ano de aprendizado para podermos crescer e ajudar o país a mudar a história.

Silvia Regina Linberger dos Anjos, sócia gerente da Maqtinpel. Química, tecnóloga gráfica com especialização em gerenciamento ambiental, mestrada em tecnologia ambiental, membro da comissão de questões ambientais da NOS-27, colaboradora voluntária da comunidade EQA (equipe de qualidade ambiental) da Escola Theobaldo de Nigris.
www.maqtinpel.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tire suas duvidas aqui