Jornal O Serigráfico

As formas de estampar roupas vêm se modernizando com o tempo e, atualmente, existem basicamente cinco modos diferentes de realização deste processo. Mas qual deles é o melhor para sua necessidade? Veja um passo a passo de como estampar roupas e garantir o sucesso do seu produto.

1. Bordado

Embora não seja propriamente uma forma de estampa, a personalização com a técnica de bordado é muito utilizada atualmente e confere beleza a muitas peças em que é feito. Este processo é antigo e pode ser tratado como uma verdadeira arte na mão de muitas pessoas, embora os processos mais industrializados – que são encontrados atualmente -, sejam realizados por maquinários próprios devido à velocidade de trabalho. Utilizando programação específica para este fim, é possível criar em computadores os desenhos e transferir a informação para máquinas que bordam com frequência de até 1500 pontos por minuto.

2. Estamparia digital

Muito semelhante à impressão convencional em papel, a estamparia digital cria, a partir de imagens de computador, tecidos com as mais variadas formas estampadas. O lado negativo deste processo é o valor, tanto das tintas, quanto da máquina, levando o processo global a custar até três vezes mais que os outros, porém permitindo a confecção em escala reduzida. A baixa durabilidade apresentada pelo produto final também é um ponto que deixa a desejar neste processo. A qualidade das imagens estampadas é o seu ponto chave, permitindo estampas até mesmo com fotos. Na estamparia digital, existem duas divisões dos maquinários: os plotters, adaptações para impressão em tecidos a partir de sistemas previamente feitos para imprimir em papel; e as máquinas de impressão digital em tecidos, exclusivas para este tipo de produção.

3. Estampas com filmes de recorte

A personalização de vestuários com filmes de recorte consiste na termotransferência de imagens contidas em um filme previamente recortado, utilizando uma plotter que expõe o conjunto à alta temperatura e pressão. Para trabalhos com maior qualidade, é importante atentar-se aos filmes utilizados. Boas opções presentes no mercado são o PowerFilm Total Print e o Sport Film Print, que reproduzem fielmente as imagens contidas no filme, ou o Sport Film V3 e Power Film V3, que proporcionam acabamentos mais sofisticados às peças, além de cores diferenciadas, como dourado ou metálico. Para este tipo de estampa, há ainda as opções refletivas e as que brilham no escuro (glow in the dark), dando um toque diferenciado ao vestuário.

4. Transfer por Sublimação

Sublimação é o processo na qual um material passa diretamente do estado sólido para o gasoso. No caso dos processos de estampas, há a transferência da tinta que forma uma imagem em um papel para o tecido, pela submissão a pressão e temperatura elevadas. Em maquinários que atuam na forma de chapas, a exposição durante alguns segundos a temperaturas próximas aos 200ºC – tal como tempo em 30s e pressão de 4 a 6 BAR -, transfere o conteúdo do papel para o tecido, sendo uma técnica muito versátil devido às imagens serem criadas a partir do computador – não havendo limitação quanto a tamanhos ou cores. Embora técnicas muito semelhantes, a sublimação e o transfer possuem algumas diferenças.

5. Serigrafia

É um processo na qual a tinta é vazada por uma tela, submetida a determinada pressão. A tela, também chamada de matriz serigráfica, pode ser confeccionada por vários materiais, mas geralmente são usados nylon ou poliéster. O processo de impressão é feito através da luz. Um material fotossensível (reage quimicamente na incidência luminosa) é exposto sobre a matriz e acaba endurecendo quando a luz o atinge, sendo esta controlada para pontos específicos a fim de modelar as imagens impressas. A variedade de materiais em que a serigrafia é empregada é bastante ampla, incluindo papel, tecido, plástico, borracha, vidro, madeira, dentre outros. O processo pode ser realizado de forma automatizada ou manual.

www.embaplan.com.br

Comente: