Jornal O Serigráfico

Para se obter um bom trabalho de impressão em silk screen são necessários arte final e fotolito bem realizados, matriz bem revelada, um impressor dedicado e o uso de tinta e equipamento de qualidade

1) Usar um software apropriado para produzir o desenho ou arte final, utilizando-se de uma impressora a laser de 1200 dpi. Em caso de arte com detalhes finos e letras pequenas, é aconselhável contratar serviços de empresas especializadas em pré-impressão ou fotolito, as chamadas bureaus.

2) A moldura da matriz não deverá ficar muito próxima ao desenho. Deixar de 5 a 10 cm de cada lado na sua parte interna. Isto facilitará o impressor na manipulação da tinta, evitando borrões ou falhas.

3) Ao fazer a matriz ou mandar executar fora, verificar a qualidade do produto que será usado na confecção da mesma.

4) Procurar usar tintas e solventes de marcas conhecidas no mercado e sempre utilizar substrato de boa qualidade.

5) Usar sempre rodo maior que o desenho, para se evitar marcas na impressão. Este deverá ser bem afiado, principalmente ao imprimir retículas e letras ou traços finos. Para materiais que necessitam muita tinta para cobrir (tecido escuro, madeira) o rodo deverá ter os cantos arredondados.

6) Ao imprimir traços finos e letras, não se deve usar tinta dura.

7) Misturar a tinta muito bem com o solvente indicado pelo fabricante, em recipiente separado. Deve-se evitar a mistura com tintas antigas, a fim de impedir a contaminação.

8) Fazer a impressão em lugar bem ventilado e arejado. Caso a tinta esteja secando na matriz, utilizar um solvente retardador, adicionando de 5 a 10% na tinta, e misturar bem. Ao usar tinta de secagem UV, consultar o técnico do fabricante.

9) Deixar sempre uma distância (tamanho de uma moeda) entre a matriz e o material, para se evitar borrões na impressão.
Quanto maior a matriz, aumentar o fora de contato e, na esticagem bem alta, diminuir o fora de contato.

10) Para segurar o material, utilizar cola permanente, fita dupla face, ou mesa a vácuo. Com isso, evita-se que o material suba junto com a matriz e borre a peça.

11) Fixar a matriz na mesa, com dobradiça de porta, com garra simples ou regulável. Poderá também usar máquina semiautomática.

12) Para uma impressão perfeita e por igual, deverá ser feito um registro na mesa de impressão. No caso de peças redondas, cilíndricas ou ovais, fazer um molde em gesso ou resina epóxi. Nesse caso, fazer uma matriz curvada de acordo com o tamanho da peça ou formato.

13) Antes de começar a produção, deverá ser feita uma conferência da arte final, da matriz e do tamanho e fazer uma peça piloto para aprovação do cliente. Em caso de material diferente, fazer teste de aderência e atrito, deixando secar pelo tempo que o fabricante determinar.

14) Antes de iniciar a impressão, teste-a em folha de sulfite ou jornal.

15) Para peça de difícil acesso (baixo relevo ou com pino atrapalhando) procure uma empresa especializada em fazer matrizes especiais (curvada, redonda, com cantoneira de alumínio e outras).

16) Ao imprimir várias peças, sem limpar a matriz, deve-se cobrir o desenho, levemente, com a tinta, no intervalo de cada impressão. Tomar cuidado para não deixar secar as tintas sintéticas, epóxi ou acrílicas na matriz, pois as mesmas não se recuperam.

17) Aguardar as peças impressas secarem totalmente antes de empilhar ou embalar.

18) No caso de material fino, que vai ser impresso em várias cores, as impressões deverão ser feitas no mesmo dia, para se evitar que o material encolha e, com isto, as cores não se encaixem.

19) Para perfeita conservação da matriz, na sua limpeza, utilize o solvente indicado pelo fabricante.
Caso seja feita uma pausa no trabalho, deixe-a limpa, mantendo como nova para poder recuperar e gravar outro desenho para um novo trabalho.

20) Para impressões que precisem de uma qualidade, sempre consultar um técnico em serigrafia.

O leitor que tiver dúvida mandar um email para:
hajimeotsuka@yahoo.com.br

Comente: