0 Comments

Foi pensando desta forma que a gestora de pessoas e coach Vivian Castanheda reinventou sua profissão e criou um projeto social, o “Abrindo Portas”.

Formada em Comunicação, começou a trabalhar aos 14 anos, buscando sua independência. Foi em um anúncio no classificados de emprego do jornal do bairro onde morava que Vivian teve a oportunidade de ingressar em seu primeiro emprego. Desde aquela época, Vivian demonstrava um perfil voltado para a área comercial, visto que a vaga anunciada era para recepcionista e, ao participar da entrevista, a convidaram para o setor comercial por se identificar melhor com esta atividade.
A empresa que a contratou foi a Supriway, empresa de grande destaque, na época, no ramo da comunicação visual.
Em seguida, Vivian passou por grandes empresas deste segmento, como a Roland, ITM/ “HP Big Impression”, Imprimax, até chegar aos dias atuais, onde gerencia há 11 anos a equipe de vendas da Digigraf.

Toda esta sua trajetória soma mais de 21 anos no mercado da comunicação visual, no qual sempre buscou se especializar em cursos de liderança para melhorar seu desempenho e promover à sua equipe um tratamento mais humanizado.
No início do ano passado, ela percebeu que continuar fazendo a mesma coisa não iria levá-la a lugar nenhum. Precisava se reinventar, e ao entrevistar um candidato para a vaga na sua equipe percebeu seu despreparo e considerou criar uma iniciativa que ajudasse pessoas a se colocarem no mercado de trabalho, e mais do que isso, ajudar as pessoas a descobrirem o que de fato as fomenta.

“Não basta ter um currículo bom, as pessoas precisam se organizar para uma entrevista de emprego. Se você vai fazer um bolo precisa já separar todos os ingredientes antecipadamente, para não chegar a hora de colocar o fermento e descobrir a falta. Assim é uma entrevista de emprego, tem que chegar preparado, com todos os “ingredientes” na mão. Tem pessoas que chegam na entrevista sem um currículo impresso, outras chegam com currículo incompleto, tem gente que chora por nervosismo, e isto acontece com todo nível de candidato, tanto com os iniciantes como gerentes e diretores. E mais do que isso, não adianta aceitar qualquer oportunidade, o candidato precisa saber o que ele realmente gosta e o que o motivará a acordar todos os dias. O projeto “Abrindo Portas” surgiu com a finalidade de orientar estas pessoas na iniciação profissional, ou mesmo na recolocação. Como se portar nas entrevistas? Como montar um curriculum vitae adequado? Como controlar a ansiedade? Como aumentar sua autoestima? Como não se autossabotar? Estes são alguns dos assuntos abordados e debatidos nos encontros”, comenta Vivian.
O projeto, destinado a qualquer idade, está na ativa desde junho do ano passado, recebendo os interessados sempre no último sábado de cada mês.
Vivian Castanheda é responsável por cada etapa do projeto, desde a criação, preparação, apresentação, palestras e inclusão nas redes sociais como Linkedin, Facebook e Instagram.
“ Não fiz este projeto pensando somente nos jovens que estão iniciando a carreira, mas também aquele que quer se recolocar no mercado. Tem participante que chega no projeto e fala: “Eu estou com 49 anos, de que forma vou conseguir uma proposta? O mercado não contrata gente mais velha. Como eu faço?” E eu respondo: “Da mesma forma, tanto faz ter 20 ou 70, a diferença é que quanto mais idade mais experiência adquirida”. E, mais do que isso, oriento todos os participantes a buscarem o que realmente os fazem acordar motivados todas as manhãs, sem precisar mudar de profissão, apenas reinventar, como eu fiz. Com isso, as pessoas poderão, além de trabalhar no que gostam, diminuir o turnover dentro das empresas”, explica Vivian.

Vivian tem recebido vários convites para fazer palestras, contando sobre essa transformação profissional, em outros locais além dos encontros mensais no projeto “Abrindo Portas”, e já recolocou no mercado mais de 20 pessoas.

“Hoje, em razão do projeto, reinventei minha profissão e transformei também o meu dia a dia corporativo, lidero de forma mais humanizada. Tenho mostrado para as pessoas o quanto é importante descobrir o que elas gostam de fazer, o que as fazem acordar de manhã, qual o legado que elas querem deixar. Tenho certeza que amadureci muito com tudo isso, e está sendo muito motivador, descobri qual é o meu legado. Eu não somente ofereço conhecimento em cada dia do projeto, trabalho nas palestras, mas eu também aprendo. Saio de lá querendo abraçar todo mundo. Não tem preço, está sendo mais que gratificante”, finaliza a coach.

Projeto Abrindo Portas
Onde:
Obra Social São Judas Tadeu
Avenida Piassanguaba, 3061, Planalto Paulista-SP
Quando:
No último sábado de cada mês, das 9h às 11h30.
Inscrição:
obrasocial@saojudas.org.br

Instagram:
@abrindoportas.vc
Facebook: www.facebook.com/abrindoportas.vc

Por: Mara de Paula Giacomeli

Tire suas duvidas aqui