Jornal O Serigráfico

Luciano de Oliveira Silva, 52 anos, atua na área de comunicação visual há mais de 3 décadas. “Trabalho há mais de 40 anos; fui comerciante, bancário e passei por empresas prestadoras de serviços e indústrias”, conta Luciano.

A entrada na área de comunicação visual veio meio por acaso… “Atuávamos forte na fabricação de equipamentos e ferramentas para a indústria em geral, mas percebemos que o seguimento de serigrafia e comunicação visual crescia rápido nos anos 90. Descobrimos que fabricávamos um produto (Soprador de Ar quente ou Soprador Térmico),  que atendia aos serígrafos e gráficos. Foi aí que entramos nesse mercado e depois começamos também a fabricar flash cure para cura de tintas plastisol e máquinas de solda lonas e então embarcamos no segmento com mais afinco”, comenta.

Ao longo dos quase 30 anos de trabalho na Comala, Luciano viu sua carreira deslanchar e passou por diversos departamentos da empresa, crescendo junto com ela. “Iniciei na Comala como vendedor, depois supervisor, gerente de vendas Brasil e,  por fim, diretor comercial para a América do Sul. A Empresa tinha como sócia a maior fabricante de sopradores de ar quente na Europa, a Steinel, que no ano de 2014 fabricou 900 mil unidades para 17 marcas diferentes fora sua própria marca. Lembrando que sopradores e acessórios representavam 20% do negócio do grupo, que faturou 150 milhões de Euros em 2015. Com mudanças realizadas no grupo no final de 2015, me desliguei da empresa e em fevereiro de 2016 iniciei, a convite do Marcelo Souss, na Alko/Alltak, como gerente de vendas de vinis adesivos, tanto para comunicação visual, quanto para envelopamentos de autos e decoração, objetivando prospecção de  novos negócios, fortalecimento de  alianças existentes e ampliação da marca no mercado”.

Por uma ironia do destino, Luciano já tinha uma relação pré-estabelecida com a Alko anteriormente, numa parceria entre a Comala e a Alko para a realização do CAMBEA – Campeonato Brasileiro de Envelopamento Automotivo. “Na primeira reunião para lançar o CAMBEA eu não pude participar e enviei um emissário, que gostou do projeto. Na ocasião, comprometeu dois ou mais meses de verba de propaganda em patrocínio para o campeonato. Fiquei enfurecido, esbravejei, mas tinha que assumir o que o emissário entendeu ser um ótimo projeto. Hoje trabalho para a empresa que promove o evento e sou um defensor ferrenho do CAMBEA que vai para sua sétima edição na Fespa 2017”, relembra.

Muito querido no mercado, Luciano atribui seu sucesso à fé que tem. “Deus, criador do universo, me cercou de amigos, líderes, mestres e famliares, que foram fundamentais na minha trajetória”.

Que o mercado mudou compeltamente nesses 30 anos, ninguém duvida, mas Luciano acredita que a comparação entre gerações é injusta. “Costumo dizer que não podemos fazer comparações quando envolve gerações, ainda mais nos dias de hoje que a tecnologia voa. Pelé foi o rei do seu tempo, Ronaldo Fenômeno no dele e Neymar hoje”.

“Aos que chegam no mercado agora, é importante ressaltar que tudo começa no pensamento, então desenhe, pinte e exponha seu trabalho, seja ele qual for. Aplausos ou vaias são para a platéia. Sempre que penso qual caminho tomar, lembro de uma frase de um grande homem contemporâneo, Chico Xavier: ‘Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim’ ”, finaliza Luciano.

Comente: