Jornal O Serigráfico

Chegamos ao mês de abril. E quando abril chegar ao fim, lá se vai um terço do ano.
Os dias têm passado muito rápido. Parece que foi ontem a virada do ano, e em um piscar de olhos já se passaram o Carnaval e a Páscoa.
“Os dias estão voando”, é comum ouvir dizer.
Mas nada mudou. Um dia ainda tem 24 horas, cada hora 60 minutos, cada minuto 60 segundos, e um segundo ainda é um segundo. Então por que esta sensação de aceleração?
Estudiosos associam a sensação com a quantidade de informações a que somos submetidos no dia a dia e a repetição destas informações, ou seja, quanto mais nos acostumamos com uma tarefa, a sensação ao terminá-la será de que passou mais rápido a cada dia.
E é assim com tudo. Temos a sensação de que o ano está passando mais rápido porque a cada final de ano é um ano a mais que passamos por todos os meses e os mesmos acontecimentos dentro destes meses: mais um Carnaval, mais uma Páscoa, mais um Descobrimento do Brasil, mais um Natal.
Então porque não deixar o tempo pra lá e viver sem contar a hora? O tempo vai passar mesmo. Não importa se a sensação é de que ele está voando rápido ou pairando no ar.
Viva seus 86400 segundos diários da forma que melhor lhe ocorrer. Sem aceleração, ou com, se assim você preferir.
Voe igual a um boeing ou paire no ar. A escolha é sua.
E independente da sensação da velocidade do tempo, como disse um dia o grande poeta Cazuza, uma circunstância é certa:
“O tempo não para
Não para não…”

Mara de Paula Giacomeli é jornalista e editora do Jornal O Serigráfico

Comente: