Jornal O Serigráfico


Cercada de profissionais que já atuam nos mercado de lona e revestimento em PVC há mais de 20 anos, a Portofino, empresa 100% nacional e situada em São Paulo, encontra seu diferencial na inovação de produtos e na excelência dos seus serviços.
A constante busca por melhorias e produtos de qualidade levou a empresa a buscar a adequação do seu parque industrial para a produção de lonas maiores que o padrão.
Abastecendo o mercado de comunicação visual, toldos e cobertura, lonas de caminhão e vinil para piscinas, a Portofino entra em um novo patamar de produção, fornecendo lonas de 3.20 m de largura de fabricação própria.
A construção de um novo equipamento híbrido, um misto de laminadora e extrusora, é o ponto de partida para esta nova fase da empresa. A complexidade deste equipamento, voltado para o mercado de toldos e coberturas, torna a produção mais articulada.
“Buscamos excelência em produtos, rapidez no fornecimento e um estoque regulador estável. Com esse novo equipamento, teremos mais versatilidade em nossa produção, o intercâmbio de produtos se tornará mais fácil e poderemos atender o cliente com agilidade”, declara Roberto Kuschnir, diretor da empresa.

Abrangendo a importação desde o início de suas atividades, a Portofino possui tecnologia e serviços diferenciados e competitivos. Equipada com maquinário próprio de calandragem, verticaliza, formulando seu próprio PVC, produzindo o composto já pigmentado, granulando e calandrando os filmes de PVC que recobrem todas as lonas. O tecido de poliéster é produzido com matéria-prima de qualidade internacional, tornando a Portofino uma das poucas empresas a tecer sua própria tela já impregnada com o PVC de emulsão.

“A nossa característica é atender bem com produtos de qualidade e inovações constantes, inclusive temos produtos desenvolvidos especialmente para algumas marcas de mercado. Acrescentamos recentemente em nosso portfólio, laminados para toalhas de mesa, uma gama com mais de 100 cores e desenhos especiais para atender todos os públicos do mercado. Começamos importando, continuamos importando. Temos capacidade em competir de igual para igual com o produto nacional, com produção própria e qualidade indiscutível, finaliza Roberto.

www.portofinobrasil.com.br

Por: Mara de Paula Giacomeli

Comente: